A chave, a porta e a janela

5 jul

Era inverno e as crianças brincavam lá fora enquanto a chuva não dava sinais de chegar. Do lado de dentro, ele era mero expectador.

Já passava dos 40 e vivia só, agarrado a uma velha manta e ao passado que ninguém jamais conheceu.

A grama estava alta e as pinturas na parede já começavam a descascar. Às vezes, os vizinhos chamavam no portão, que nunca se abriu. O homem não tinha amigos, nem sorrisos. Só silêncio e solidão.

Correram as estações. As crianças continuaram brincando na calçada e a grama crescendo no jardim, mas ele permaneceu ali, sem nada fazer. Tinha a chave nas mãos, porém se trancou. Envelheceu vendo a vida passar pela janela.

Anúncios

2 Respostas to “A chave, a porta e a janela”

  1. Jr Punketone 5 de julho de 2011 às 5:44 pm #

    E quantos não veem a vida passar pela janela dos olhos, mesmo vagueando dentro e fora da casa?
    Falta enxergar e entender o que há por dentro da janela fechada.

  2. Priscila 5 de julho de 2011 às 6:07 pm #

    Um texto pra ser sentido, eu vi e senti a história. Parabéns pela sensibilidade e leveza que você embute nos textos, amorita, e que fazem a gente viajar nas linhas. #meuorgulho

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: